segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O Pau da Bandeira tornou-se uma das maiores festas de Altaneira

FOTOS DE JOÃO ALVES: O “maior cortejo do Pau da Bandeira de Altaneira” é este o comentário geral dos participantes do evento de abertura dos Festejos da Padroeira ocorrido na tarde da ultima sexta feira (12/10). O cortejo do pau da bandeira antes uma demonstração de fé de trabalhadores rurais e comerciantes foi transformada numa grande festa profana, com blocos organizados, paredões de som o que lembra mais uma micareta. Logo no inicio da tarde da sexta-feira centenas de jovens, adultos e crianças se concentravam na rodovia CE 388 nas imediações do Sítio Poças, onde foram ambulantes se instalaram para venda de bebidas alcoólicas, refrigerantes e petiscos. Vários altaneirenses que residem e trabalham em outras cidades e estados voltam a Altaneira especialmente para participar dos festejos da Festa da Padroeira que em virtude das eleições foram adiados para esta semana. No final da tarde o tronco da arvore derrubada dias anteriores foi suspenso e conduzido nos ombros de homens e mulheres até o Pátio da igreja matriz onde foi erguido com a Bandeira da Padroeira Santa Tereza D`Avila. Do Blog de Altaneira.. http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=5537000450869205009#editor

Tarrafas-CE: Prefeita e militantes se excedem em comemoração

Infomaçõs de Miseria.com São várias as denúncias vindas do município de Tarrafas acerca da comemoração de militantes, liderados pela atual prefeita Antonia Simião Lopes (PSB), conhecida como Teca Lopes, em prol da prefeita eleita Lucineide Batista de Oliveira (PSB), conhecida como Lucinha. Segundo as denúncias a comemoração da vitória sobre o candidato do PT, José Alcântara de Araújo Neto (Neto), na segunda-feira (8), excedeu o limite da “baixaria, escândalo, vandalismo e falta de respeito,” classifica Alex Lêu, filho do vereador reeleito Valdeci Lêu (PT). “Durante a passeata houve gestos obscenos, garrafas quebradas, tambores de lixo revirados, além de tentativa de ridicularizar o candidato adversário,” disse Alex. (Foto: Alex Lêu) O caso mais visível aconteceu na Vila Cajazeiras do Jiló, onde, segundo informações, aconteceu uma invasão de carros, motos e militantes a pé, percorrendo as ruas com um caixão, contendo fotos de adversários. A atitude teria indignado adultos e assustando crianças e idosos. “Durante a passeata houve gestos obscenos, garrafas quebradas, tambores de lixo revirados, além de tentativa de ridicularizar o candidato adversário,” disse Alex. Mas, o ponto alto da baderna, segundo parte dos moradores, foi a invasão na igreja pelas pessoas carregando o caixão, quando tocaram o sino várias vezes. O ponto alto da baderna, segundo parte dos moradores, foi a invasão na igreja pelas pessoas carregando o caixão, quando tocaram o sino várias vezes. (Foto: Alex Lêu) Durante a invasão da igreja houve a "fala" da prefeita Teca Lopes, que aderiu um tom de xingamento e revolta com as pessoas daquela localidade. A prefeita chegou a dizer, segundo testemunhas, que seus adversários, quando necessitarem de carros, remédios ou algo do tipo, não apareçam na prefeitura. Descontrole total A eleição de Tarrafas foi bem disputada e, transcorreu, sempre num clima de tensão muito alto. A candidata da prefeita, Lucinha, venceu com 2.864 votos. O candidato petista teve 2.827 votos. Foram 445 votos brancos e nulos, e 1.259 abstenções. Uma maioria de apenas 37, em favor da candidata da situação. Mas, nada justifica tal atitude. A vitória para a prefeita, inclusive, não deveria ter sido motivo de comemoração. Uma diferença de apenas 37 votos para quem já governa a tanto tempo é um sinal de que algo está errado. E, aí, intimidar e ameaçar as pessoas, não é o caminho para resgatar essa popularidade abalada significativamente nessa eleição. Ao que parece o alvo principal da prefeita foi a casa de vereadores adversários. A prefeita precisa entender que a oposição faz parte da democracia e que o tempo da ditadura e do coronelismo já passou. Além do mais a candidata eleita Lucinha será, obrigatoriamente, a prefeita de todos os tarrafenses. Não adianta dizer que não dará assistência a quem votou em outro candidato. É para isso que existe o Ministério Público, exatamente, para identificar e punir esses abusos de poder. A notícia que nos chegou dá conta, ainda, de que a própria prefeita, depois de passar por várias comunidades, e chegar a sede do município, no encerramento da passeata, tocou fogo no caixão em praça pública. Lamentável! É importante deixar claro que não somos contra comemorações, mas elas devem acontecer dentro de uma conduta ética, um mínimo de respeito ao adversário e a população, que tem direito ao contraditório na urna. A população tem o direito de escolher quem quiser e deve ser respeitado, independente, do resultado.